28 de abr de 2011

O segredo do Budo

O segredo do Budo não está em formas. A maestria é a liberdade do coração!.(Morihei Ueshiba)

21 de abr de 2011

Aiki (kanji)

Shugyô: treinamento constante!


Em japonês, shugyô é percorrer o Caminho(Do) durante toda uma vida. Morihei ensinava: "No seu treinamento, não se apresse, pois é necessário um mínimo de dez anos pra dominar os elementos básicos e avançar ao primeiro grau. Nunca se considere um mestre perfeito quem sabe tudo; você precisa continuar treinando diariamente com seus amigos e alunos, avançando juntos no Caminho da Harmonia."



Fragmento de texto retirado do livro: Os Segredos do Aikido, autor: John Stevens, editora: Pensamento.

17 de abr de 2011

Virtude


"A palavra sâncrita para virtude ou moralidade é sila (pronuncia-se sheela). Esta linda palavra antiga vem nos lembrar que devemos praticar a conduta ética, ao lado de um a disciplina equilibrada e saudável. Antes de falar ou agir, pare por um instante e pense na sila: você está prestes a prejudicar alguém ou na verdade vai ajudar? Vai ser habilidoso ou inábil? Altruísta ou Egoísta? Suas palavras refletem suas intenções verdadeiras e um sincero comprimisso com a bondade e a bodhicitta?
Sila (virtude ou ética) é tradicionalmente comparada a uma árvore frondosa que oferece sombra fresca; sob os seus ramos, o peregrino que caminha sob o sol escaldante do deserto das emoções conflitantes vai encontrar alívio e abrigo contra as tempestades ferozes do comportamento compulsivo ou impulsivo. Durante sua vida, confie na virtude, na conduta correta e na autodisciplina, para amortecer o atrito dos conflito internos e externos.
Em um nível exterior, sila significa contribuir para um mundo melhor, ao vivermos a vida de frma honesta, curadora, não violenta, não egoista e com consideração. Implicado no desenvolvimento do caráter - o fortalecimento do que quer que esteja truncado ou distorcido em nosso comportamento e em nós mesmos.
Em um nível interior, sila significa sermos genuinamente honestos e verdadeiros para conosco, sem nos iludirmos, sem má vontade, preconceitos ou preferências egoístas.
Em um nível inato ou natural, sila significa compreender que somos todos inerentemente virtuosos e imaculados, que todos possuímos, no âmago de nosso ser mais autêntico, a pureza de coração e a bondade da natureza de Buda.




Livro: O Despertar do Buda Interior (Ed. Rocco), autoria do Lama Surya Das.

14 de abr de 2011

Meditação Budista das Cinco Recordações

A meditação budista conhecida como as Cinco Recordações pede para refletirmos sobre a natureza da realidade e de nossas ações. Elas têm a finalidade de nos ajudar a decidir quais são as nossas prioridades e como devemos passar nossos dias.

As Cinco Recordações

1. Não há forma de escapar da velhice. Eu também ficarei velho.
2. Não há forma de escapar da degeneração física. Meu corpo também vai enfraquecer.
3. Não há forma de escapar da morte. Eu também vou morrer.
4. Tudo e todos mudam; temos que nos separar até daqueles a quem amamos.
5. Meus atos estão sempre comigosob a forma de propensões. Só o meu carma me acompanhará quando eu morrer; meu carma é o chão no qual piso.

Fala Correta

"Melhor do que uma história sem sentido que tem mil palavras, é uma única palavra com um significado profundo que, ao ser ouvida, produz a paz." (Dhammapada)

10 de abr de 2011

Paz verdadeira (Gandhi)


"Cada um tem que encontrar sua paz interior.
E para ser verdadeira, a paz não pode se
afetada por circunstâncias externas."

9 de abr de 2011

Seigo Yamaguchi Sensei

Sun Tzu - A Arte da Guerra




Sun Tzu foi um general chinês que viveu no século IV a.C. e que no comando do exército real de Wu acumulou inúmeras vitórias, derrotando exércitos inimigos e capturando seus comandantes. Foi um profundo conhecedor das manobras militares e escreveu A ARTE DA GUERRA, ensinando estratégias de combate e táticas de guerra. Uma das histórias mais repetidas sobre Sun Tzu descreve o modo pelo qual ele empregava as "concubinas" para demonstrar, no palácio, ao rei, exemplos de manobras de combate e deslocamentos de tropas.



A Arte da Guerra



É um tratado militar escrito durante o século IV a.C. pelo estrategista conhecido como Sun Tzu. O tratado é composto por treze capítulos, onde em cada capítulo é abordado um aspecto da estratégia de guerra, de modo a compor um panorama de todos os eventos e estratégias que devem ser abordados em um combate racional. Acredita-se que o livro tenha sido usado por diversos estrategistas militares através da história como Napoleão, Zhuge Liang, Cao Cao, Takeda Shingen, Vo Nguyen Giap e Mao Tse Tung.



Desde 1772 existem edições européias (quatro traduções russas, uma alemã, cinco em inglês), apesar de serem consideradas insatisfatórias. A primeira edição ocidental tida como uma tradução fidedigna data de 1927.

A Arte da Guerra foi traduzido para o português por Caio Fernando Abreu e Miriam Paglia(1995).

Apesar da antiguidade da obra, nenhuma obra ou tratado é tão compreensível e tão atual quanto A Arte da Guerra.

Com seu caráter sentencioso, Sun Tzu forja a figura de um general cujas qualidades são o segredo, a dissimulação e a surpresa.


Hoje, A Arte da Guerra parece destinado a secundar outra guerra: a das empresas no mundo dos negócios. Assim, o livro migrou das estantes dos estrategistas para as do economista e do administrador.

Embora as táticas bélicas tenham mudado desde a época de Sun Tzu, esse tratado teria influenciado, segundo a Enciclopédia Britânica, certos estrategistas modernos como Mao Tsé-Tung, em sua luta contra os japoneses e os chineses nacionalistas.

Inclusive encontra-se nos escritos militares de Mao-Tse-Tung citações do livro A Arte da Guerra de Sun Tzu.



Veja algumas citações do livro:

"A invencibilidade está na defesa; a possibilidade de vitória, no ataque. Quem se defende mostra que sua força é inadequada; quem ataca, mostra que ela é abundante."

"Existem cinco fatores que permitem que se preveja qual dos oponentes sairá vencedor:
aquele que sabe quando deve ou não lutar;
aquele que sabe como adotar a arte militar apropriada de acordo com a superioridade ou inferioridade de suas forças frente ao inimigo;
aquele que sabe como manter seus superiores e subordinados unidos de acordo com suas propostas;
aquele que está bem preparado e enfrenta um inimigo desprevenido;
aquele que é um general sábio e capaz, em cujas decisões o soberano não interfere."

"A água não tem forma constante. Na guerra também não existem condições constantes. Por isso pode-se dizer que é divino aquele que obtém uma vitória alterando as suas táticas em conformidade com a situação do inimigo."

"Dos cinco elementos, nenhum é predominante; das quatro estações nenhuma dura para sempre; os dias, uns são longos, outros curtos; a Lua enche e míngua."

"Aquele que conhece o inimigo e a si mesmo lutará cem batalhas sem perigo de derrota;para aquele que não conhece o inimigo, mas conhece a si mesmo, as chances para a vitória ou para a derrota serão iguais;aquele que não conhece nem o inimigo e nem a si próprio, será derrotado em todas as batalhas"

"Evitar guerras é muito mais gratificante do que vencer mil batalhas - Sun tzu (孫子)"


(via Leonardo Monteiro)

3 de abr de 2011

Mudanças Sutis da Respiração (Morihei Ueshiba)


O Maravilhos o funcionamento do Ki deriva das mudanças sutis da respiração; ele é o progenitor da vida. Essa é a essência do BU (amor). Quando você conta com a função maravilhosa do ki, unifica o corpo e a mente e partica o Aikido. Alterações sutis em sua respiração lhe permitem executar livremente as técnicas. Essas mudanças sutis o conectam com o fluxo da energia universal.
Mudanças sutis na respiração permeiam seu ser e permitem que você se mova de maneira livre e desimpedida em qualquer contingência. Quando a pessoa entende como operam as mudanças sutis da respiração, surgem as verdadeiras técnicas de Aikido.




Fragemnto retirado do livro: Ensinamentos Secretos do Aikido, editora Cultrix.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...