31 de jul de 2012

Buddha e o método simples


O Buddha também é conhecido como o médico ímpar (bhisakko), o cirurgião supremo (sallakatto anuttaro). É, de fato, um curador sem igual.
O método de exposição do Buddha das Quatro Nobres Verdades é comparável ao de um médico. Como um médico, primeiro ele diagnosticou a doença, depois descobriu a causa do surgimento da doença, então considerou sua remoção e por fim aplicou o remédio.
O sofrimento (dukkha) é a doença; o apego (tanha) é o surgimento da causa-raiz da doença (samudaya); através da remoção do apego, a doença é removida, e essa é a cura (nirodha-nibbana); o Nobre Óctuplo Caminho (magga) é o remédio.
A resposta do Buddha ao brahmana que desejava saber porque o Mestre é chamado de Buddha claramente indica que não era por nenhuma outra razão além das Quatro Nobres Verdades. Aqui está a resposta do Buddha:

“Soube o que devia ser sabido,

Cultivei o necessário cultivo,
E o que devia abandonar isso deixei ir.


Portanto,
Cultivei o necessário cultivo,
E o que devia abandonar isso deixei ir.
[1]

Com a proclamação do Dhamma pela primeira vez, com o ato de colocar em movimento a Roda do Dhamma e com a conversão dos cinco ascetas, o Parque das Gazelas em Isipatana tornou-se o berço da Dispensação do Buddha (sasana) e da sua Comunidade de Monges (sangha).[2]


[1] Sutta-nipata v. 558; MN. No. 92; Vin i. 245; Theragatha. 828.
[2] Em 273 a.C. o Imperador Asoka foi em peregrinação até esse lugar santo, erigindo uma série de monumentos e um pilar comemorativo com um capitólio de leão. Esse capitólio com seus quatro magníficos leões segurando o Dharma-cakra, “A Roda do Dharma”, está agora no museu de Sarnath, Benares, é a coroa oficial da Índia. O festival do Dharma-cakra ainda acontece no Sri Lanka.
Jawaharlal Nehru escreve: “Em Sarnath, próximo a Benares, quase se pode ver o Buddha pregando seu primeiro sermão e algumas de suas palavras gravadas vêm a mim como um distante eco através de dois mil e quinhentos anos. Os pilares de pedra de Asoka me falam em sua linguagem magnífica e falam de um homem que, embora imperador, era maior do que qualquer rei ou imperador”. (The Discovery of India, p. 44).

Retirado do Blog Arando a mente fértil

17 de jul de 2012

Gozo Shioda Sensei (* 9/09/1915 ... + 17/07/1994)


Mestre Gozo Shioda
(* 9/09/1915 ... + 17/07/1994)
Deixou como herança um modo de praticar o Aikidō que focava a dinamicidade, a marcialidade e mostrava claramente que o pequeno e fraco, com a técnica adequada, pode superar o mais forte, que usa a força bruta concentrando o peso em um determinado ponto.
(Aikidō Shugyo - Harmonia no confronto).


14 de jul de 2012

O Zen é a “consciência cotidiana” - Daisetsu T. Suzuki


"O Zen é a “consciência cotidiana”, de acordo com a expressão de Baso Matsu (morto em 788). Essa “consciência cotidiana” não é outra coisa senão “dormir quando se tem sono e comer quando se tem fome”. Quando refletimos, deliberamos, conceitualizamos, o inconsciente primário se perde e surge o pensamento. Já não comemos quando comemos, nem dormimos quando dormimos. Dispara-se a flecha, mas ela não se dirige diretamente ao alvo e este não está onde devia estar. O cálculo verdadeiro se confunde com o falso. A confusão introduzida no espírito do arqueiro se traduz em todos os sentidos e em todos os domínios.
O homem é definido como um ser pensante, mas suas grandes obras se realizam quando não pensa e não calcula. Devemos reconquistar a ingenuidade infantil, através de muitos anos de exercício na arte de nos esquecermos de nós próprios.
Nesse estágio, o homem pensa sem pensar. Ele pensa como a chuva que cai do céu, como as ondas que se alteiam sobre os oceanos, como as estrelas que iluminam o céu noturno, como a verde folhagem que brota na paz do frescor primaveril. Na verdade, ele é as ondas, o oceano, as estrelas, as folhas.
Uma vez que o homem alcance esse estado de evolução espiritual, ele se torna um artista Zen da vida."

Pequeno trecho da Introdução escrito por Daisetsu Teitaro Suzuki do livro "A Arte Cavaleiresca do Arqueiro Zen - de Eugen Herrigel.

12 de jul de 2012

"Dentro de uma alma absolutamente livre de pensamentos e emoções, nem mesmo um tigre encontra espaço para cravar suas garras afiadas".
- O Tao do Jeet Kune Do

Citação retirada do Facebook de Alberto Baggio Neto

Iai-Kenjutsu

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...